quinta-feira, 24 de março de 2011

O copo. por Bianca Chetto



É a primeira vez que eu estrago um relacionamento. Tudo bem, eu não tive tantos relacionamentos assim... mas, os que eu tive, nunca estraguei. Sim, sempre fui eu a terminar, mas era sempre por que o sentimento tinha acabado ou por que o carinha tinha feito alguma coisa que eu não gostei. Mas nunca, nenhuma vez, eu deliberadamente estraguei tudo. Hehehe

É interessante isso por que tinha aquela vozinha me dizendo: “isso não vai acabar bem querida... não faça isso não.” E eu costumo ouvir todas essas vozesinhas... E é interessante também pq sempre me considerei uma pessoa atenta ás sutilezas dos relacionamentos. E mesmo assim... sai atropelando tudo. Agora sinto vontade de rir.... e riria se não fosse pelo nó na minha garganta. Tá aí outra coisa que eu não sinto há algum tempo.
Aqui estou eu abraçando minhas emoções e me permitindo senti-las. E o que mais sinto é saudade. Um pesar, sabe? Do tipo que se sente quando perde alguém querido. E lá no fundo... aquele silêncio. Posso sentir meu corpo se fechando inteiro, se fechando pro mundo. E aquela vontade de não falar com ninguém. E ai volta a saudade. Ai, uma saudade tão grande de tudo que poderia ter sido.
A imagem que me vem é a de um vidro quebrado. Um cristal, em mil pedacinhos... Uma corrente fina, frágil, que se partiu. E você lê o texto e se pergunta: “O que foi que ela fez?” E eu não tenho como te responder. Mais uma vez me rendo a sutileza das emoções humanas.
É como aquele copo que fica em cima da mesa, bem na beirada.... A criança olha pra ele, de baixo, mal conseguindo alcançá-lo. E é lindo, o sol reflete nas paredes do copo, e ele brilha e não tem nada mais que a criança deseje. Então o copo quebra. Não por que a criança tentou alcançá-lo e falhou. Mas por que o copo está sempre, sempre, sempre muito próximo da beirada, e a brisa mais leve é capaz de derrubá-lo.

Sim, Bianca... mas se foi a brisa que derrubou o copo, como pode ter sido você a estragar tudo? A resposta é simples. Eu deixei a janela aberta.

Talvez essa ilustração abra margem pra muitas interpretações... então vou ser um pouquinho mais objetiva, até por que as meninas precisam saber sobre o que vão escrever depois de mim... rsrs. O que eu quero dizer é: Quando o copo quebra, fudeu. Não adianta colar com super Bond, não adianta tentar montar os pedacinhos, não adianta. Romance é vidro. Ainda que você cole os pedaços, ele não volta a ser transparente. “Nada do que foi será de novo do jeito que já foi um dia.” Não to falando de amor, ou de confiança apenas. Mas daquele encanto... o encanto que começa “tudo”. Quando o encanto se quebra... toda tentativa de recomeço é frustrada.

Alguém discorda?
kisses

7 comentários:

Bia disse...

entaaao, esse texto nao reflete mais o modo como eu vejo a minha situação rs... mas o tema continua valendo. Ainda concordo com o q eu escrevi, embora agora eu veja que as coisas nao eram como eu imaginava.

beeeeeeeeijos

...Flávio. disse...

O texto ficou bem legal. Essa história de brincar com o copo fazendo alusão ao sentimento, muito bom. Certa vez comentou um ar de inveja de um dos meus textos, te digo o mesmo agora, como não enxergar no copo tanta coisa! Ok. Me venceu! ;)
Mas sabe o que é melhor disso tudo, o seu comentário após o texto. Hahaha. Você não seria você se não fosse tão assim como só você sabe ser! Indescritível!
Bom pequenina, continuarei a ler-te. E não se sinta mal pelas atitudes tomadas, sejam elas quais forem, se foram tomadas por causa de um desejo imenso de fazê-las naquele instante, então acredito que fez o certo! Se não fizesse, acredito que poderia estar se martirizando por alguma descoberta posterior, então, que bom que aconteceu tudo dessa forma! Sempre tento olhar o lado bom das coisas!
Um beijo enorme. ;)

Bia disse...

Gracias flavinho hehehehe, seus comentarios sao sempre bem vindos!!!! =DDD

;*

Lara Vic. disse...

Eu sei como é.
Tive uma amizade ano passado que acreditei que duraria a vida inteira, mas, por um motivo besta qualquer (e com isso digo ciúme)paramos de nos falar.
O que me irritou é que ela não me procurou e falou o que acontece. Ela postou no blog dela um poema, Feito Cristal, com essa mesma ilustração, e a mesma figuratividade.
É, com ela eu não pretendo voltar a falar, mas outra amiga, com a qual eu tive uma briga muito séria, voltou a falar comigo quase um ano depois. Nós nos abraçamos, choramos e nos desculpamo, porque as duas tinham culpa. Hoje ela voltou a ser minha melhor amiga, e, graças a Deus, nossa amizade não é como era antes. É melhor.
amei o texto. bjs :*

Bia disse...

Lara, bem vinda!
Achom que voce leu minha mente... estou passando por um problema semelhante. Vamos ver no que vai dar.
beeeijos!

Caio disse...

Mega concordei! Hahahaha
Não só com a alusão à fragilidade do vidro e a idéia do cuidado, mas com seu fatalismo, o "fudeu" é quase o barulho que eu ouço quando meus copos caem no chão. Hahaha
Muito bom seu texto, em vários momentos senti que eu mesmo podia ter escrito. Vou continuar acompanhando aqui.
Beijo, de seu amigo que te ama

elenita disse...

Meninaaa... Já me senti assim várias vezes, mas não sou tão boa com as palavras. A metáfora do copo foi perfeita para descrever o que sentimos com o fim de uma relação, seja ele qual for, amizade, amor... Adorei o texto!!!